Livro Cotidiano

Livro Cotidiano
Clique para ver índice do livro

Corridas

Em corridas curtas, atletas chegam a atingir velocidades superiores a 40 km/h. Mas ninguém consegue manter esse rítmo por muito mais do que em alguns segundos. Em corridas longas a velocidade média é da ordem de ou pouco maior do que 20 km/h. Tudo isso, claro, para excelentes atletas.

As corridas estão entre as atividades esportivas e olímpicas mais difundidas e mais apreciadas, tanto pelo público em geral como pelos atletas amadores. As distâncias mais comuns das diferentes modalidades de corrida esportiva variam de 50 m até 100 km. E, claro, os tempos de corrida também variam: de pouco mais do que 5 s no caso de corridas de 50 m, até cerca de 6 horas, quando o percurso é de 100 km.
Nos Jogos Olímpicos, as distâncias das diversas provas vão de 100 m até um pouco mais do que 42 km, no caso da maratona. A tabela mostra alguns recordes mundiais recentes de diferentes corridas.

=====================================================
Distância ............ Recorde mundial (até início 2011) ...... Velocidade média
100 m ..................... 9,58 s .................................................10,4 m/s, 37,6 km/h
800 m .................... 1m41s ...................................................7,9 m/s, 28,5 km/h
2000 m ....... .......... 4m45s ...................................................7,0 m/s, 25,3 km/h
5000 m ................. 12m37s ..................................................6,6 m/s, 23,8 km/h
10.000 m............... 26m18s ..................................................6,3 m/s, 22,8 km/h
Maratona .............. 2h04m ................................................... 5,7 m/s, 20,4 km/h
=====================================================

As velocidades médias das diferentes corridas também aparecem na tabela. Elas variam de pouco mais de 10 m/s na corrida de 100 m até aproximadamente 6 m/s na Maratona.
É claro que essas velocidades também variam durante a prova. A cada vez que o atleta coloca um pé no chão, sua velocidade é ligeiramente reduzida e, a seguir, como conseqüência do “empurrão” que o atleta dá, é aumentada novamente. Entretanto, se quisermos fazer uma análise mais ampla do que ocorre em uma corrida, podemos ignorar essas variações cíclicas da velocidade a cada vez que o atleta coloca o pé no chão e considerarmos apenas a velocidade média durante cada passada.
Na corrida de 100 m, a mais rápida delas, o atleta chega a atingir uma velocidade máxima de cerca de 12 m/s, ou aproximadamente 43 km/h! Isso acontece aos 5 s ou 6 s de corrida. A partir daí, muitos atletas, exaustos, começam a perder velocidade, concluindo os cem metros com uma velocidade de cerca de 10 m/s.
Nas corridas mais longas também há variação de velocidade durante a competição. Entretanto, além da variação que ocorre na largada, quando a aceleração é muito grande, a variação de velocidade no restante do percurso é relativamente pequena. Em casos de corridas muito longas, a velocidade é praticamente constante durante todo o percurso.
O gráfico mostra o perfil de velocidade de um atleta recordista no caso de uma corrida de 100 m. No início, a aceleração do atleta é bastante intensa, da ordem de 10 metros por segundo quadrado. Alguns poucos segundos depois, a velocidade atinge seu máximo. Como a energia disponível do atleta está praticamente esgotada, ele não mais consegue acelerar seu corpo nos segundos finais e sua velocidade deixa de aumentar, começando, mesmo, a reduzir.



Se você gostou deste texto, clique aqui para ver o índice do livro Um Pouco da Física do Cotidiano

Nenhum comentário:

Postar um comentário