Livro Cotidiano

Livro Cotidiano
Clique para ver índice do livro

Índice do livro Um Pouco da Física do Cotidiano

Algumas ideias desenvolvidas neste blog viraram um livro
Para ver uma breve apresentação no youtube, clique https://www.youtube.com/watch?v=Q9xS8lYcoME
Para adquiri-lo, clique aqui e acesse o sítio da editora
Para ver o índice do livro, continue lendo

Jogos Pan-Americanos: só contam as medalhas?

Alguns (ou muitos?) meios de comunicação transformaram os Jogos Pan-Americanos em uma espécie de campeonato de coleção de medalhas: só interessava o número de medalhas conquistadas por um país. Aspectos importantes e interessantes dos esportes, como suas características, onde eles são praticados no Brasil, o que caracteriza um bom desempenho em cada atividade, quais são as características físicas (altura, tipo de composição muscular...) dos e das atletas que se dedicam a um determinado esporte, quais as habilidades exigidas, como o resultado obtido em uma atividade se compara com os recordes mundiais, onde cada atleta brasileiro treina e quem o treina..., foram negligenciados. Só conta a quantidade de medalhas conquistadas.

Como um barco a vela pode andar mais rápido do que o vento?

    Um veleiro pode andar mais rápido do que o vento! Como pode ser isso? Para entender, precisamos, primeiro, ver como um barco à vela é impulsionado.

Marcha atlética: por que rebolar?

A marcha atlética é um esporte no qual o atleta deve andar o mais rapidamente possível, mas sem correr. E a diferença entre andar e correr é muito simples. Quando andamos, mantemos pelo menos um pé em contacto com o solo durante todo o tempo, ou seja, só tiramos um pé do chão depois que o outro já está encostado no solo. Quando corremos, uma parte do tempo estamos com os dois pés “no ar”, sem contacto com o solo. Assim, a regra básica da marcha atlética é manter pelo menos um dos pés em contacto com o solo todo o tempo; quem não fizer isso será desclassificado. (Você encontrará, facilmente, vários vídeos de marcha atlética na Internet.)

Qual a força de um soco?

 Antes de falarmos de soco, vamos falar de freadas. Suponha que você esteja em um carro a, digamos, 20 km/h, e esse carro é freado até parar, suavemente, após alguns segundos e muitos metros. Você, que estava andando com o carro, também foi freado até parar e, portanto, uma força atuou sobre seu corpo, provavelmente feita pelo banco sobre suas nádegas. E a intensidade da força feita por você no banco é a mesma que o banco fez em você.