Livro Cotidiano

Livro Cotidiano
Clique para ver índice do livro

Os jogos pan-americanos e as políticas esportivas

    Nos recentes jogos pan-americanos de Guadalajara, no México, os atletas dos EUA conquistaram um total; de 236 medalhas enquanto os jamaicanos conquistaram apenas 7 e atletas uruguaios, 5. Será que podemos concluir que as políticas voltadas aos esportes amadores são levadas mais a sério nos EUA do que no Uruguai ou na Jamaica?

    Certamente, não. Afinal, a população estadunidense é da ordem de cem vezes maior do que as populações daqueles dois outros países. Assim, as 5 ou 7 medalhas são muito mais significativas do que as 236 americanas. Para sabermos o nível de desenvolvimento e popularização das atividades esportivas nos diversos países, ou seja, quão disseminadas estão as atividades esportivas entre as pessoas, devemos relativizar os números de medalhas considerando suas populações.


Quando de medalhas (ouro, prata ou bronze) no Pan 2011. Países com cinco ou mais medalhas
EUA              236
Brasil             141
Cuba             136
México          133
Canadá         119
Colômbia       84
Argentina       75
Venezuela      72
Chile              43
Rep, Dominicana    33
Equador        24
Porto Rico     22
Guatemala     15
Jamaica         7
Peru              7
Uruguai         5


    A tabela acima mostra o total de medalhas de todos os países que conquistaram cinco ou mais medalhas em Guadalajara, em ordem decrescente do número de medalhas. Vamos, agora, relativizar aqueles números pelas populações dos países. Isso é mostrado na tabela a seguir, onde aparecem os números de medalhas conquistadas pelos diferentes países para cada grupo de um milhão de habitantes. A ordem dos países muda bastante. Os EUA, que encabeçavam a lista com suas 236 medalhas, é o antepenúltimo colocado, com menos do que um medalha para cada milhão de habitantes, seguidos pelo Brasil e pelo Peru. Em primeiro lugar aparece Cuba, com uma dúzia de medalhas para cada milhão de habitantes e, logo a seguir, Porto Rico e Canadá. A conclusão é óbvia: esses três países estão entre aqueles onde os esportes amadores são mais disseminados e populares. EUA, Brasil e Peru, no final da lista, estão entre os países com menores participações da população em atividades esportivas. Em outras palavras, é muito mais comum encontrar pessoas que praticam seriamente atividades esportivas em Cuba, Porto Rico ou Canadá do que nos EUA, Brasil ou Peru.


Número de medalhas para cada grupo de um milhão de habitantes.
Cuba                12,4
Porto Rico         5,6
Canadá             3,5
Rep. Dominicana    3,5
Chile               2,7
Venezuela       2,6
Jamaica          2,5
Colômbia       1,9
Argentina       1,8
Equador         1,7
Uruguai         1,4
México         1,2
Guatemala    1,2
EUA            0,8
Brasil           0,7
Peru            0,2

    Mas apenas relativizar pela população não conta tudo. Afinal, dois países com mesmas populações, mas realidades econômicas muito diferentes, mesmo que tenham um mesmo nível de envolvimento da população em atividades esportivas, podem ter resultados diferentes em uma competição internacional. Afinal, as atividades esportivas exigem recursos materiais, como equipamentos (quadras, piscinas, clubes, barcos etc.), pessoas profissionalmente dedicadas (treinadores, técnico, médicos, professores de educação física etc.) e muitas outras coisas que dependem das possibilidades econômicas dos países. Assim, outra forma de examinar o nível de envolvimento dos diferentes países com as atividades esportivas é comparar o número de medalhas com a produção econômica de cada um deles. Essa comparação nos informa quanto de esforço cada país dedica às atividades esportivas. Assim, a próxima tabela mostra a relação entre o número de medalhas e o produto interno bruto – PIB (calculado pela paridade de poder de compra) de cada país, em trilhões de dólares. Por exemplo, os EUA conquistaram 236 medalhas e têm um PIB de 11,6 trilhões de dólares. Isso significa que conquistaram 236/11,6=20,3 medalhas para cada trilhão de dólares do PIB. Essa relação entre o número de medalhas e o PIB indica, pelo menos aproximadamente, que fração do esforço nacional é dedicada aos esportes.


Medalhas conquistadas por atletas dos diferentes países para cada trilhão de dólares do PIB
Cuba                      1193
Rep. Dominicana      379
Porto Rico                338
Jamaica                   292
Guatemala               214
Venezuela               209
Equador                  209
Colômbia                193
Chile                      168
Argentina               126
Uruguai                  104
Canadá                   89
México                   85
Brasil                      64
Peru                       25
EUA                      20

    Novamente, Cuba aparece em primeiro lugar: ou seja, é o país que devota a maior parte de suas atividades produtivas aos esportes amadores. E, novamente, Brasil, Peru e EUA aparecem no final da lista, entre aqueles países que destinam os menores esforços para as atividades esportivas amadoras.
    O Brasil tem ainda muito a fazer para que as atividades esportivas, em especial as amadoras, venham a ocupar um lugar de maior destaque na vida das pessoas. Aqui, os esportes envolvem frações muito pequenas da população e dedicamos poucos recursos materiais para eles. Temos ainda muito a andar ... e a correr, nadar, saltar, lançar, pedalar etc. ... apenas para sair da rabeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário