Livro Cotidiano

Livro Cotidiano
Clique para ver índice do livro

Perfil físico de atletas

Praticantes de diferentes modalidades esportivas têm diferentes características físicas. Uns são muito fortes, como Usain Bolt, outros relativamente magros, como Marílson dos Santos. Por que essa diferença?
 Algumas das diferenças entre atletas são de ordem estratégica. Por exemplo, zagueiros, no futebol, tendem a ser mais altos e fortes que atacantes, pois esses são fatores interessantes quando se trata de impedir o avanço de um jogador.
Mas há outras razões que definem o perfil físico de um atleta. Observe dois atletas de primeiríssima linha: o fundista brasileiro Marílson dos Santos, vencedor de várias corridas de longa distância, como a São Silvestre de 2010, e o jamaicano Usain Bolt, velocista e recordista dos 100 m rasos. Marilson, fundista, é relativamente magro, cerca de 60 kg (índice de massa corpórea próximo a 20), e pouco musculoso quando comparado com Usain Bolt, velocista cerca de 90 kg (índice de massa corpórea próximo a 25). Por que essa diferença?
Corridas rápidas e outras atividades esportivas de curta duração exigem dos atletas uma grande de produção de energia mecânica em um tempo muito curto. E para isso é bom ter uma grande massa muscular na qual a energia usada está armazenada. Esses atletas não dependem, durante a corrida, daquela energia produzida continuamente por nosso organismo por meio do consumo do oxigênio respirado. A rigor, velocistas sequer precisam respirar durante os dez segundos que dura uma corrida de 100 metros.
Por sua vez, corridas de longa duração dependem da capacidade do atleta gerar energia  por um longo tempo, embora a uma taxa bem mais baixa quando comparada com a taxa com que velocistas produzem energia. Assim, fundistas não precisam de grandes massas musculares e, sim, de uma excelente capacidade de oxigenação. Uma grande massa muscular em nada ajudaria no desempenho de um fundista.

Durante uma corrida  como a São Silvestre, Marílson produz cerca de 1,5 milhão de joules de energia . Para isso, ele precisou “queimar”, usando o oxigênio da respiração, o equivalente a quantidade de energia de uma refeição. Um velocista, por sua vez, produz cerca de quanrenta mil joules de energia em uma corrida de 100 metros e, assim, gasta a energia química contida em não mais do que uma fatia de pão.
Ou seja, Marílson produziu muito mais energia em uma corrida como a São Silvestre do que Bolt em uma corrida de cem metros.
.
Mas se Marílson produziu muito mais energia do que Bolt, ele não deveria ser mais forte? Não. A diferença é que Marílson gastou mais energia do que Bolt, mas em um tempo muito maior. E enquanto estava gastando essa energia, seu organismo a estava produzindo, queimando o oxigênio respirado. Bolt, diferentemente, só gasta a energia que está acumulado em seus músculos; por isso, precisa de ter uma garnde massa muscular para ter bastante energia armazenada.


É essa diferença entre a capacidade de gerar altas taxas de energia, alta potência, mas por pouco tempo, e a capacidade de gerar uma grande quantidade de energia a taxas menores, mas por mais tempo, que caracteriza velocistas e fundistas.

Outra característica que diferencia atletas especializados em "explosões", como os velocistas, e atletas especializados em atividades de longa duração, como os fundistas, tem a ver com o tipo de músculo que cada um desses esportistas depende em suas atividades. Velocistas dependem de um tipo de fibra muscular capaz de responder rapidamente à demanda de energia, mas que se exaurem rapidamente; essas são com fibras musculares de cor clara.
Já os fundistas dependem de músculos que podem produzir energia durante longo tempo, mas que são incapazes de fazer isso a altas taxas, em uma "explasão". Essas fibras musculares são tipicamente vermelhas

Essa diferença entre músculos brancos e vermelhos é a mesma que encontramos nos frangos: os músculos do peito são brancos, pois esse órgão é usado apenas em explosões rápidas, tipicamente para fugir de algum predador, esgotando rapidamente sua reserva de energia. Diferentemente, os músculos das coxas dos franmgos são vermelhos, pois, embora incapazes de produzir energia rapidamente, fazem isso por longos períodos de tempo.

2 comentários: